Parábola: Sapo na Panela, você conhece? E como se aplica a você?

Conta a lenda que um sapo foi colocado em uma panela com a mesma água fria da sua lagoa e com o fogo aceso, a água aquecia gradativamente na panela e o sapo gostava daquela sensação e nem pensava em pular da panela, ficava ali paradinho, só curtindo.

O sapo não reagia ao gradual aumento da temperatura da água e o final todos já sabem, a água ferveu e o sapo morreu ali mesmo, dentro da panela.

Entretanto, ao pegar outro sapo da mesma lagoa e escaldá-lo, ou seja, jogá-lo na panela já com a água da lagoa fervida, ele reagiu imediatamente saltando para fora da panela e dessa forma, preservando sua vida, apesar de algumas queimaduras causadas pelo breve contato com a água fervida.

MINHAS CONSIDERAÇÕES
Mas por que essa reação dos sapos?

Os sapos tiveram essa reação por que seu instinto faz com que eles se defendessem das ameaças e acontecimentos rápidos e repentinos e ignorassem ou não temessem os acontecimentos graduais.

Essa parábola ficou mundialmente conhecida através do livro A Quinta Disciplina de Peter M. Senge e nos faz refletir como os profissionais reagiram às mudanças ocorridas nas últimas décadas, especialmente no mercado de trabalho. Muita gente deve conhecer esta parábola, mas ela sempre serve de reflexão para avaliarmos como estamos conduzindo nossas vidas.

Reflita se você é como o sapo fervido! Será que você está tão acostumado com sua lagoa e não percebe as mudanças que acontecem ao seu redor? Será que as mudanças que ocorreram no mercado de trabalho interferem em sua empregabilidade? Como a sua acomodação está refletindo no seu processo de recolocação?

Existem vários sapos fervidos espalhados pelo mercado de trabalho, pois consideram o ambiente muito agradável e acabam por não perceber as mudanças que ocorrem ao seu redor. Ficam obsoletos, “morrendo” sem ter percebido as mudanças. São sapos fervidos prestes a morrer, porém boiando estáveis na água da lagoa que se aquece gradativamente, que não perceberam que o mercado de trabalho se transformou com a globalização e com o avanço das tecnologias e de comunicação.

Outros profissionais são como o segundo sapo, atentos ao ambiente ao seu redor e percebendo as transformações, pulam e saltam apresentando ações que significam a reação necessária às mudanças.

Não podemos agir como o sapo fervido, que por não perceber as mudanças (no seu caso, o aumento da temperatura da água), avaliou que estava tudo certo e não percebeu que chegava o seu fim.

No caso do mercado de trabalho, os profissionais devem ser como o segundo sapo, que logo que foi jogado na água fervido, pulou para fora da panela e permaneceu vivo. Ou seja, que percebem as mudanças que acontecem e que procuram, da melhor forma ajustar-se às novas situações, para não ficarem obsoletos.

Você é um sapo fervido?