Inflação de 438% desde criação do real faz nota de R$ 100 valer R$ 18,59

Desde 1º de julho de 1994, quando o real começou a circular, até 31 de março de 2016, a moeda brasileira perdeu 81,41% do seu poder de compra, segundo cálculo do Instituto Assaf, entidade privada formada por professores e pesquisadores das áreas de economia e finanças.

Por causa da desvalorização, uma nota de R$ 100 tem poder de compra equivalente a R$ 18,59 atualmente. “Se alguém tivesse deixado uma nota de R$ 100 guardada durante todo esse tempo, ela teria, hoje, menos de um quinto do valor de 1994”, afirma Fabiano Guasti Lima, pesquisador do Instituto Assaf.

A perda de valor da moeda brasileira se deve à inflação acumulada nesses quase 22 anos. De julho de 1994 a março de 2016, a inflação oficial no país, medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) foi de 437,79%, de acordo com o instituto.

Apesar da desvalorização ao longo do tempo, o professor diz que o real representou uma conquista importante no controle da inflação. “Antes, os preços subiam muito rápido e as pessoas não sabiam quanto o dinheiro delas valia. Hoje, conseguem saber o que podem comprar com o dinheiro que têm.”

Veja abaixo o quanto cada nota perdeu em valor desde que o real começou a circular.

Arte/UOL

De 1º de julho de 1994 até 31 de março de 2016, a nota de R$ 100 perdeu 81,41% de seu valor original. Apesar de o valor de face ser o mesmo, a nota tem poder de compra equivalente a R$ 18,59 atualmente.

Arte/UOL

A nota de R$ 50 também perdeu valor desde o início do Plano Real e equivale, atualmente, a R$ 9,30.

Arte/UOL

Comparado com seu valor original, uma nota de R$ 10 tem poder de compra equivalente a R$ 1,86 nos dias atuais.

Arte/UOL

O poder de compra da nota de R$ 5 caiu para R$ R$ 0,93 nos quase 22 anos do real.

Arte/UOL

No começo do Plano Real, R$ 1 podia ser encontrado na forma de cédulas e moedas. A nota deixou de ser impressa, e a moeda agora tem valor equivalente a R$ 0,19.

CRÉDITOS: economia.uol.com.br